sábado, 10 de julho de 2010

Sobre Crepúsculo e seus Fãs

Desde o princípio da onda Crepúsculo não me interessei pelos filmes e muito menos pelos livros. Continuo sem intenções de ver ou ler. Porém diverto-me com as discussões travadas entre os amantes da série e aqueles que adoram falar mal. Eu me encaixo entre aqueles que adoram falar mal, mas não farei isso aqui. Pelo menos não diretamente.

A melhor crítica que vi sobre o assunto veio de Pablo Villaça, principalmente quando define o vampiro charmoso da saga: “ele brilha, voa, e mora na floresta: isso não é um vampiro, ele é uma fada”! Simplesmente hilário. Veja o vídeo:

Não preciso dizer aqui o que penso sobre essa interpretação de vampiro, basta ler um antigo post meu: Sanguessuga Mitológico.

O que eu diria para os fãs fanáticos de Crepúsculo é que eles podem gostar dos livros e dos filmes sem problema algum, mas também lhe é exigido algum sendo crítico. As pessoas podem gostar de algo que julgam não ser a melhor coisa produzida neste mundo.

Mesmo os fãs mais hipnotizados por Star Wars reconhecem a desgraça que veio a ser a nova trilogia, ainda que se divirtam assistindo-a.

Quantas vezes não fui ao cinema assistir um bom filme na tela, mas por alguma razão não gostei. Ou o contrário: gostei, mas reconheço ser um filme ruim.

O que nos faz gostar ou não de algo é subjetivo e essencialmente emocional, não faz parte da razão e do intelecto. E é interessante sabermos separar as coisas para que possamos identificar nossas paixões. Isso faz parte de um processo de autoconhecimento, importante para o crescimento (intelectual e emocional) de qualquer pessoa.

Wallpaper_1680x1050_onesheet

Talvez Crepúsculo tenha uma linguagem fácil e acessível compatível com a exigência moderna de velocidade na informação (fast-food), e com conflitos básicos e superficiais, porém vividos com intensidade por milhares de adolescentes, consegue atrair fãs apaixonados e desmedidos. Um adulto talvez goste justamente por identificar essa intensidade juvenil das paixões que um dia teve ou desejou ter. Fantasias Infantis. Considerando o que leio por ai, Crepúsculo não me parece muito diferente da fantasia do príncipe num cavalo branco.

Os livros de Harry Potter passou pelo mesmo e hoje me parece estar consolidado como uma boa diversão. A diferença com relação aos filmes é que esses são indiscutivelmente bem produzidos e com participação de atores ingleses consagrados.

Será que Crepúsculo alcançará um tempo assim? Um mínimo de qualidade é necessário para perdurar, alguns anos que sejam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário