sábado, 28 de fevereiro de 2009

Ninguém veio do Macaco…

…apesar da semelhança de uns e equivalência intelectual de outros, Darwin nunca disse que o Homem “veio” do Macaco. Esse argumento foi utilizado pelos cristãos de seu tempo para ridicularizar sua Teoria da Evolução. E, qualquer pessoa com um mínimo de inteligência e conhecimento sabe que o Homem não surgiu de um macaco.

darwin-32 No último dia 12 de Fevereiro comemorou-se 200 anos do nascimento de Darwin e, por isso, muitas reportagens e matérias foram publicadas sobre o dito cujo e seu legado. Porém aproveitaram-se, também, desse momento as Igrejas usurpadoras que pregam a ignorância e a intolerância.

Mas uma publicação em especial me chamou a atenção e devo comentar algumas de suas artimanhas maldosas que servem para confundir e ludibriar o leitor.

Até meados do século 19 ninguém tinha qualquer dúvida de que o homem e todas as e spécies existentes foram criados como são, sem terem sofrido algum tipo de transformação. Mas, em 1859, abriu-se uma polêmica alimentada até aos dias de hoje: a teoria de Charles Darwin, que como o nome indica, é uma teoria, uma hipótese, embora cercada de supostas evidências lançadas por Darwin, cujo bicentenário de nascimento é lembrado neste ano. Tanto tempo e as ideias dele ainda causam alvoroço, por apontar que o ser humano, tal como é hoje, descende do macaco e, portanto, tem origem num animal selvagem. Talvez por isso, a teoria esteja tão longe de ser uma unanimidade.

É para este parágrafo que lhes chamo a atenção. O texto inicia-se quase como um conto de fadas: “Era uma vez uma época linda, quando todos eram cristãos pecadores, penitentes e cheios de certezas, quando surgiu um bruxo malvado que tentou destruir a pureza de todos”. Em seguida junta as palavras Teoria e Hipótese como se fossem sinônimos; que seguindo esse raciocínio poderiamos dizer que a Teoria da Gravidade é também apenas uma teoria, uma hipótese.

atbash-charles-darwin-ape Agora dizer que o Homem descende do Macaco, é um absurdo. Nós continuamos a ser o mesmo bicho de sempre, porém com as devidas transformações evolutivas. Não foi um macaco (desses que conhecemos hoje) que de uma hora para outra passou a caminhar ereto, perder pêlos e pensar. Havia uma espécie específica de animais semelhante aos macacos (assim como somos parecidos com eles nos dias de hoje) que evoluiu de uma maneira única, assim como todos os outros seres vivos do planeta, e acabou por desenvolver a todos nós.

Mas o ponto crucial é que: Evoluir não significa Progredir e é isso que incomoda mais o pensamento religioso. Para os religiosos o Ser-Humano precisa ser superior aos outros animais pois foi criado a imagem e semelhança de Deus. Arrogância e Prepotência deveriam ser pecado!

No texto ainda há muitos outros momentos que se percebe a clara intenção de enganar o leitor. O autor afirma que que os cientistas que acreditam na Teoria de Darwin são um grupo reduzido! Apesar da Teoria já estar estabelecida no meio científico, o autor trata a teoria como se fosse uma construção do pensamento religioso baseada na crença (como o Criacionismo). Você pode não “acreditar” na Teoria da Evolução, mas se tratando de ciência, não há uma outra teoria tão bem sucedida.

Para finalizar, pense que a diferença de nosso DNA para o DNA de um Chimpanzé é de 1,6% e isso é menos do que a diferença genética de um Elefante Africano para um Elefante Asiático, sendo que ambos são evidentemente Elefantes! Alguém discorda?

Esse assunto continuará no futuro…

Continue Lendo...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

E o Oscar foi para:…

Aconteceu o Oscar e os vencedores foram revelados. Foi uma apresentação meio chata. Os piores momentos eram nas categorias de atuação, surgiam cinco Jedis no palco para formar o fotalezaConselho Virtual da Fortaleza da Solidão e começavam a bajular o indicado. Não gostei disso. Soou um clima de exaltação à competição, ao vencedor, como se o reconhecimento se desse apenas para aquele que levasse a estatueta! Só faltou utilizarem de novo a frase: And the Winner is…

Masssss… passou! Com poucas apresentações musicais e poucas compilações de imagens, a premiação até que foi rápida.

Melhor Filme
O Curioso Caso de Benjamin Button
Frost Nixon
O Leitor
Quem Quer Ser Um Milionário?
Milk - A Voz da Igualdade

Melhor Diretor
Danny Boyle (Quem Quer Ser Um Milionário?)
Stephen Daldry (O Leitor)
David Fincher (O Curioso Caso de Benjamin Button)
Ron Howard (Frost Nixon)
Gus Van Sant (Milk - A Voz da Igualdade)

Melhor Ator
Frank Langella (Frost Nixon)
Sean Penn (Milk - A Voz da Igualdade)
Brad Pitt (O Curioso Caso de Benjamin Button)
Mickey Rourke (O Lutador)
Richard Jenkins (The Visitor)

Melhor Atriz
Anne Hathaway (O Casamento de Rachel)
Angelina Jolie (A Troca)
Meryl Streep (Dúvida)
Kate Winslet (O Leitor)
Melissa Leo (Rio Congelado)

Melhor Ator Coadjuvante
Philip Seymour Hoffman (Dúvida)
Heath Ledger (Batman - O Cavaleiro das Trevas)
Robert Downey Jr. (Trovão Tropical)
Michael Shannon (Foi Apenas Um Sonho)
Josh Brolin (Milk - A Voz da Igualdade)

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams (Dúvida)
Penélope Cruz (Vicky Cristina Barcelona)
Viola Davis (Dúvida)
Marisa Tomei (O Lutador)
Taraji P. Henson (O Curioso Caso de Benjamin Button)

Melhor Roteiro Original
Wall-E, de Andrew Stanton e Pete Docter
Milk - A Voz da Igualdade, de Dustin Lance Black
Na Mira do Chefe, de Martin McDonagh
Rio Congelado, de Courtney Hunt
Simplesmente Feliz, de Mike Leigh

Melhor Roteiro Adaptado
O Curioso Caso de Benjamin Button, por Eric Roth e Robin Swicord
Dúvida, por John Patrick Shanley
Frost Nixon, por Peter Morgan
O Leitor, por David Hare
Quem Quer Ser Um Milionário?, por Simon Beaufoy

Melhor Filme Estrangeiro
"Revanche", de Gotz Spielmann (Áustria)
"The class", de Laurent Cantet (França)
"The Baader Meinhof Complex", de Uli Edel (Alemanha)
"Waltz with Bashir", de Ari Folman (Israel)
"Departures", de Yojiro Takita (Japão)

Melhor Animação
Bolt - Supercão
Kung Fu Panda
Wall-E

Melhor Fotografia
A Troca
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
O Leitor
Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Direção de Arte
A Troca
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
A Duquesa
Foi Apenas Um Sonho

Melhor Figurino
Austrália
O Curioso Caso de Benjamin Button
A Duquesa
Milk - A Voz da Igualdade
Foi Apenas Um Sonho

Melhor Som
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Efeitos Sonoros
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Montagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Quem Quer Ser Um Milionário?
Milk - A Voz da Igualdade
Frost Nixon

Melhor Efeitos Visuais
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro

Melhor Maquiagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Hellboy II - O Exército Dourado
Batman - O Cavaleiro das Trevas

Melhor Trilha Sonora
O Curioso Caso de Benjamin Button, de Alexandre Desplat
Defiance, de James Newton Howard
Quem Quer Ser Um Milionário?, de A.R. Rahman
Milk - A Voz da Igualdade, de Danny Elfman
Wall-E, de Thomas Newman

Melhor Canção
Down To Earth, de Wall-E
Jai Ho, de Quem Quer Ser Um Milionário?
O Saya, de Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Curta-Metragem (animação)
La Maison en Petits Cubes, de Kunio Kato
Lavatory - Lovestory, de Konstantin Bronzit
Oktapodi, de Emud Mokhberi e Thierry Marchand
Presto, de Doug Sweetland
This Way Up, de Alan Smith e Adam Foulkes

Melhor Curta-Metragem
Auf der Strecke (On the Line), de Reto Caffi
Manon on the Asphalt, de Elizabeth Marre e Olivier Pont
New Boy, de Steph Green e Tamara Anghie
The Pig, de Tivi Magnusson e Dorte Høgh
Spielzeugland (Toyland), de Jochen Alexander Freydank

Melhor Curta-Metragem (documentário)
The Conscience of Nhem En
The Final Inch
Smile Pinki
The Witness - From the Balcony of Room 306

Melhor Documentário
The Betrayal
Encounters at the End of the World
The Garden
Man on Wire
Trouble the Water

Continue Lendo...

domingo, 22 de fevereiro de 2009

E Hoje Acontece O Maior Evento do Ano!

Não. Não estou falando do Carnaval Carioca!

cartazoscar Hoje acontece a premiação do Oscar que será exibida pelo TNT apartir das 22 horas. E, enquanto acontece o maior evento cinematográfico do mundo, nossa TV aberta estará exibindo o desfile das Escolas de Samba. Cada povo tem o Governo (e a TV) que merece!

Após o inflamado post abaixo, não preciso dizer que eu também não gosto de Carnaval. Eu sempre fui aquele Nerd que prefere passar o feriado de Carnaval em frente à TV vendo filmes ou jogando videogame. E acho que sou um poucos que já tentou entrar no cinema durante um jogo da seleção Brasileira e ficou inconformado quando soube que o cinema estaria fechado durante o jogo! Eu sou Brasileiro e já desisti algumas vezes (como jogar Guitar Hero no Hard ou no Expert)!

Só para comentar uma curiosidade desta semana: há alguns dias saiu na Internet uma suposta lista de vencedores do Oscar, que se existia alguma possiblidade de ser verdadeira, agora já deixou de ser: 2009oscarsleaked

Agora faltam poucas horas para conferir o resultado real.

São poucos os filmes indicados que vi esse ano, mas faço torcida para Wall-E em todas as suas categorias. E ainda há certa expectativa sobre a categoria de Ator Coadjuvante, que é considerada certa a premiação para o falecido Heath Ledger.

Melhor Filme
O Curioso Caso de Benjamin Button
Frost Nixon
O Leitor
Quem Quer Ser Um Milionário?
Milk - A Voz da Igualdade

Melhor Diretor
Danny Boyle (Quem Quer Ser Um Milionário?)
Stephen Daldry (O Leitor)
David Fincher (O Curioso Caso de Benjamin Button)
Ron Howard (Frost Nixon)
Gus Van Sant (Milk - A Voz da Igualdade)

Melhor Ator
Frank Langella (Frost Nixon)
Sean Penn (Milk - A Voz da Igualdade)
Brad Pitt (O Curioso Caso de Benjamin Button)
Mickey Rourke (O Lutador)
Richard Jenkins (The Visitor)oscar-2009-wrestler_f_002

Melhor Atriz
Anne Hathaway (O Casamento de Rachel)
Angelina Jolie (A Troca)
Meryl Streep (Dúvida)
Kate Winslet (O Leitor)
Melissa Leo (Rio Congelado)

Melhor Ator Coadjuvante
Philip Seymour Hoffman (Dúvida)
Heath Ledger (Batman - O Cavaleiro das Trevas)
Robert Downey Jr. (Trovão Tropical)
Michael Shannon (Foi Apenas Um Sonho)
Josh Brolin (Milk - A Voz da Igualdade)enquete-oscar-2009-melhor-ator-coadjuvante_f_002

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams (Dúvida)
Penélope Cruz (Vicky Cristina Barcelona)
Viola Davis (Dúvida)
Marisa Tomei (O Lutador)
Taraji P. Henson (O Curioso Caso de Benjamin Button)

Melhor Roteiro Original
Wall-E, de Andrew Stanton e Pete Docter
Milk - A Voz da Igualdade, de Dustin Lance Black
Na Mira do Chefe, de Martin McDonagh
Rio Congelado, de Courtney Hunt
Simplesmente Feliz, de Mike Leigh

Melhor Roteiro Adaptado
O Curioso Caso de Benjamin Button, por Eric Roth e Robin Swicord
Dúvida, por John Patrick Shanley
Frost Nixon, por Peter Morgan
O Leitor, por David Hare
Quem Quer Ser Um Milionário?, por Simon Beaufoy

Melhor Filme Estrangeiro
"Revanche", de Gotz Spielmann (Áustria)
"The class", de Laurent Cantet (França)
"The Baader Meinhof Complex", de Uli Edel (Alemanha)
"Waltz with Bashir", de Ari Folman (Israel)
"Departures", de Yojiro Takita (Japão)

Melhor Animação
Bolt - Supercão
Kung Fu Panda
Wall-Ewall_e

Melhor Fotografia
A Troca
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
O Leitor
Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Direção de Arte
A Troca
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
A Duquesa
Foi Apenas Um Sonho

Melhor Figurino
Austrália
O Curioso Caso de Benjamin Button
A Duquesa
Milk - A Voz da Igualdade
Foi Apenas Um Sonho

Melhor Som
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Efeitos Sonoros
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Montagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Quem Quer Ser Um Milionário?
Milk - A Voz da Igualdade
Frost Nixon

Melhor Efeitos Visuais
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman - O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro

Melhor Maquiagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Hellboy II - O Exército Dourado
Batman - O Cavaleiro das Trevas

Melhor Trilha Sonora
O Curioso Caso de Benjamin Button, de Alexandre Desplat
Defiance, de James Newton Howard
Quem Quer Ser Um Milionário?, de A.R. Rahman
Milk - A Voz da Igualdade, de Danny Elfman
Wall-E, de Thomas Newman

Melhor Canção
Down To Earth, de Wall-E
Jai Ho, de Quem Quer Ser Um Milionário?
O Saya, de Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Curta-Metragem (animação)
La Maison en Petits Cubes, de Kunio Kato
Lavatory - Lovestory, de Konstantin Bronzit
Oktapodi, de Emud Mokhberi e Thierry Marchand
Presto, de Doug Sweetland
This Way Up, de Alan Smith e Adam Foulkes

Melhor Curta-Metragem
Auf der Strecke (On the Line), de Reto Caffi
Manon on the Asphalt, de Elizabeth Marre e Olivier Pont
New Boy, de Steph Green e Tamara Anghie
The Pig, de Tivi Magnusson e Dorte Høgh
Spielzeugland (Toyland), de Jochen Alexander Freydank

Melhor Curta-Metragem (documentário)
The Conscience of Nhem En
The Final Inch
Smile Pinki
The Witness - From the Balcony of Room 306

Melhor Documentário
The Betrayal
Encounters at the End of the World
The Garden
Man on Wire
Trouble the Water

Continue Lendo...

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Por que eu odeio carnaval?


São tantos os motivos que me rodeiam a cabeça quando me fazem tal pergunta, que fica até difícil enumerá-los. E por conta disto, acabo quase sempre não apresentando motivos sólidos e racionais, deixando-me levar pela explosão espontânea de minha repulsa, direto do sistema límbico para as cordas vocais.

Procurarei então, aqui nas próximas linhas, definir o que mais me incomoda neste repugnante costume primitivo cuja reputação nos dá estereótipo perante o mundo (eu sei, menos revolta e mais argumentos... tentarei!).

Sem querer, já comecei a revelá-los antes da hora, me referindo ao estereótipo do brasileiro bronzeado, bêbado (quase que possuído), e a mulata com chiliques e trajes que pouco deixam à imaginação pervertida de todo bom sacana como eu.

Não, não sou feminista. Porém, o papel da mulher no carnaval me chama bastante atenção: o tamanho do traje da mulata é geralmente proporcional ao tamanho de seu cérebro. Ela sabe, todos fazem questão de lembrar, que a cada tudun da bateria da escola de samba o traje se enterra cada vez mais em suas dobras, acompanhando a atrofia de seu recheio craniano sabor chocolate vencido. Mesmo assim, nossa sociedade prefere uma inspiração de punheta à símbolos de caráter ou sabedoria.

Não, também não sou preconceituoso. Lembrem-se que estamos falando de um “estereótipo”, o estereótipo da mulata do carnaval, e não de toda uma raça, de toda uma nação, nem de todo o gênero feminino.

É claro que ao redor do globo, em várias culturas encontramos semelhantes à esta imagem – mesmo que em menores proporções - como as cheerleaders, misses, etc., porém, estas não são símbolo de um país.

Este é o capítulo da narrativa o qual gostaria de deixar por último, como triunfal conclusão de todo o raciocínio, mas não o conseguirei. Talvez por que tenha mais propriedade sobre o assunto por ser músico, ou por tamanha facilidade do alvo. Refiro-me ao ponto de vista musical do carnaval, sempre chulo, repetitivo e tribal. Seria realmente necessária a composição de quase um exército de “músicos” (sic.) para se reproduzir uma harmonia tão pobre e um ritmo tão primitivo? A resposta é sim. Infelizmente sim. Talvez (eu espero), isso tudo tenha começado com a alta contingência de foliões, pois todos da comunidade têm o direito de se divertir. Outra maneira de conceber o fato, é partindo da idéia de que todo trabalho musical, por menos complexo que seja, depende de certa habilidade e inteligência na execução, o que demandaria um grande grupo de acéfalos, ou seja, a limitação pessoal é compensada pelo trabalho em equipe.

As letras tentam abordar popularmente temas dos mais variados, acompanhando a profundidade intelectual da grande massa, sempre de uma forma banal e generalizada. As frases são musicadas por alguma voz rouca e bêbada (e não estamos falando de nenhuma Janis Joplin, nem Louis Armstgrong, ou nem mesmo Joe Cocker), com variações cromáticas de fácil entendimento até para o público demente.

O carnaval nos traz uma gama imensa de gêneros musicais odiosos como o axé, pagodinho, funk carioca, e outros que por graça maior eu desconheço. Mas retornemos ao meu alvo, que é o estereótipo carnavalesco, pois do contrário me delongaria o bastante para gastar os dedos.

Outro ponto que me causa ojeriza é a poluição visual dos desfiles. Como alguém com o mínimo de bom gosto pode achar aquele show de horrores colorido e brilhante algo de valor estético? Aquilo pode ter sido elegante e glamouroso há alguns séculos atrás, notando que os trajes (quando visíveis) lembram vestimentas vitorianas – com um toque abaianado, entenda como quiser. Por fim, as grandes estruturas móveis a lá cavalo de tróia que carregam a tropa invasora é sempre um brilho a parte, balançando aos remelexos dos “habitantes”, quase que desmoronando.

A esta altura, sinto-me mais seguro para tecer alguns comentários latentes em minha revolta, pois os grandes fãs de carnavais já desistiram de ler tal texto tão extenso, e sem nenhuma figura para lhes dar a comum e necessária sensação de vantagem e trapaça.

Há uma determinada região deste país, em que o carnaval perdura o ano todo, transformando qualquer coisa em motivo de folia. Lugar em que a alternativa de personalidade libertina da festa se torna predominante, justificando a pobreza intelectual de seu povo. Quem de bom senso já conheceu lugares assim sabe do que estou falando. É o caso em que a socialização extrema causa o definhamento social. São pessoas pouco higiênicas, castigadas pelas longas horas de passinhos e pulinhos afeminados, o sol incessante e bebida a role. Não se sabe se o lugar tem problemas de saneamento ou se as pessoas é que o ignoram.

O carnaval, a festa em geral, serve como uma espécie de botão ‘desliga’ à vida cotidiana, fazendo valer toda e qualquer vontade que se têm, com a desculpa da libertinagem proposta neta época. Não tenho nada contra isso, também tenho meus períodos ‘off’, sem os quais eu não me organizaria socialmente. O problema é que uma vez por ano sofremos com apelação desta festa de forma prática, e somos alvo de estereotipagem lá fora durante o ano todo. Ser brasileiro é pular carnaval, ser brasileiro é saber jogar futebol, ser brasileiro é mijar na rua, ser brasileiro é não respeitar nada que lhe é imposto e ter a desculpa de ser um “povo festeiro, caliente e acolhedor”, ser brasileiro é tudo isso e mais um pouco, e nem tenho mais gosto de me prolongar.

Entenderam?

Por Luciano A. Palmas

Continue Lendo...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

SteamPunk – Criatividade a todo Vapor

engrenagens2Existe um gênero que eu acho muito divertido e interessante e é pouco conhecido entre as pessoas “normais”. O Steampunk é um subgênero da “Ficção-Científica” que nos remete a um “passado-futurista”, ou seja: uma era passada da história onde existam elementos futuristas construidos através de tecnologias disponíveis nesta época, sendo comumente usado o vapor, a eletricidade e a pólvora como exemplos.

Freqüentemente, o gênero, está associado à estética (e por vezes à moral também) da Era Vitoriana com zepelins, automóveis, grandes máquinas e até robôs movidos a vapor, mas não se resume a isso. O Stempunk pode circundar a Fantasia Medieval, o Terror e muitos outros universos. A origem do gênero está baseada nas obras de Julio Verne (Vinte mil Léguas Submarinas; Viagem ao Centro da Terra; Da Terra à Lua; etc), H.G. Wells (A Máquina do Tempo; Guerra dos Mundos), Mary Shelley (Frankstein) e Mark Twain (Um Ianque de Connecticut na Corte do Rei Artur), porém o termo Steampunk é muito mais recente.

O gênero é bastante abrangente que já pode ser subdividido em outros, e como exemplo de sua extensão é possível citar diversos filmes: De volta para o futuro; Wild Wild West; Steamboy; As aventuras do Barão Munchausen; O Enigma da Pirâmide; Frankstein; O Cavaleiro sem Cabeça; Van Helsing; A Liga Extraordinária; O Grande Truque; Hellboy; A Bússola Dourada e etc etc.

Entre os RPGs, a temática já é uma antiga conhecida e muito bem representada por “Castelo Falkenstein”. Alias há alguns anos atrás eu também me aventurei a escrever um RPG (como a maioria dos adeptos desse jogo maligno) e esse poderia se encaixar muito bem nesse gênero (quem sabe um dia coloco aqui os links para os três capítulos publicados num site sobre RPG e publico os últimos capítulos com exclusividade aqui, hehehe).

steampunkEntretanto, eu só pensei em falar um pouco sobre o universo Steampunk depois de ver (através do Chongas) uma animação muito bem feita que descobri ser um curta produzido para um concurso de animação online onde o tema da vez era justamente: Steampunk: Myths and Legends.

Para Saber Mais Sobre Steampunk: www.steampunk.com.br.

Continue Lendo...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Nova Abertura d’Os Simpsons

Os Simpsons já alcançaram a marca de 20 temporadas e teve um longa metragem para comemorar seus 20 anos. Agora, entrando na era da HDTV reformulou sua já clássica abertura para marcar essa nova fase em sua 21ª Temporada. Aparentemente, além da lousa e do sofá, haverão outros elementos variáveis na abertura.

A abertura foi ao ar ontem pela FOX nos States e parece que agradou a todos; a mim com certeza agradou (talvez seja apenas um pouco longa de mais, mas no geral eu gostei... vamos ver como serão as variações)!

Vi no Smelly Cat e no Bombou na Web.

Continue Lendo...

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Psicologias? Quais são elas?

Num (já) antigo Post, comentei as diferenças entre Psiquiatria, Psicologia e Psicanálise. Ainda nesse, disse que haviam várias Psicologias, e cada uma delas entende o paciente de formas diferentes.

simbolo_psicologia_01A maioria dos Psicólogos defende que qualquer Psicologia é adequada para qualquer paciente, e todas possuem o mesmo potencial de cura. Eu, particularmente, não tenho certeza disso e, por isso, penso que as pessoas deveriam conhecer essas diferenças na hora de procurar um Psicólogo.

Vejamos brevemente algumas das Psicologias:

- Psicologia Comportamental ou Behaviorista

É uma das vertentes psicológicas mais antigas. Procurou se enquadrar no Método Científico Laboratorial Positivista e Empírico e tem como Objeto de Estudo o Comportamento.

Bastante restritiva em seus estudos, possui uma visão mais Mecanicista do Homem e não considera os Processos Mentais dos indivíduos. Tem como axioma as teorias de Estímulo-Resposta e os Condicionamentos do Comportamento (lembrem-se do cachorro de Pavlov).

Principais Fundadores: John B. Watson (Behaviorismo) e Burrhus Frederic Skinner (Behaviorismo Radical).

- Psicologia Comportamental-Cognitiva.

Esta é uma das Psicologias mais recentes e mais comuns nos dias de hoje. Tem suas origens na Psicologia Comportamental, porém considerando, agora, Processos Mentais nos indivíduos.

Também procura seguir o Modelo Científico e por isso estuda os processos mentais de forma objetiva, focalizando comportamentos específicos.

Principal Fundador: Aaron Beck.

- Psicologia Gestalt

Surgiu como crítica a Psicologia Comportamental, pois refuta a fragmentação do homem. Foi influenciada pela Filosofia Existencial/Fenomenológica e procura compreender o homem como uma totalidade. Estuda os Processos Perceptivos e a Experiência do Homem.

Gestalt, em alemão, significa: Forma, Figura, Vulto. Transmite a idéia de que a Totalidade de um Objeto é diferente da soma de suas partes.

Principais Fundadores: Max Wertheimmer, Kurt Koffka, Wolfgang Köhler e Kurt Lewin.

- Psicanálise

A Psicanálise é um complexo teórico, um método e uma prática. Por todas as suas especificidades tem um lugar distinto entre as Psicologias, se diferenciando dessas. Sendo assim, dentro da Psicanálise também surgiram ramificações que num futuro post poderei comentar.

Ao contrário das Psicologias, incluiu os Processos Mentais Inconscientes, Fantasias, Sonhos, Esquecimentos (e outros) como questões a serem estudadas e respondidas.

Principal Fundador: Sigmund Freud.

- Psicologia Analítica ou Psicologia Junguiana

Foi criada por Jung quando esse se afastou de Freud e da Psicanálise por discordar de alguns conceitos estabelecidos (Libido, Traumas Sexuais e outros). Porém ainda compartilha de muitos conceitos Freudianos e Psicanalíticos, mas possui outros, também bastante importantes, como: Arquétipos, Inconsciente Coletivo, Complexos, Ego e Persona, os Tipos Psicológicos e, Introversão e Extroversão.

Principal Fundador: Carl Gustav Jung.

- Psicologia Daseinsanalisyse

Essa Psicologia está intimamente relacionada à Filosofia Existencialista/Fenomenológica. É a aplicação prática de conceitos filosóficos a respeito do Ser. É conhecida também como: Psicologia Existencialista/Fenomenológica. Tem uma visão ampla sobre as questões existenciais do Ser.

Dasein, em alemão: Existência.

Pricipais Fundadores: Ludwig Binswanger, Merdad Boss e Martin Heidegger.

- Terapia Centrada na Pessoa

Inspirada pelo Humanismo e pelos Movimentos Sociais da Década de 60 nos EUA, valoriza o Ser Humano e suas potencialidades positivas. Possui uma abordagem mais Romantica do Ser Humano, e, tem como uma de suas máximas: O Ser Humano é bom e tende à saúde.

Principal Fundador: Carl Rogers.

Psicologia Corporal e Análise Bionergética

Procura trabalhar mente e corpo associando a terapia com alguns exercícios físicos. Procura liberar tensões do corpo e a respiração. Pensa a mente afetando o corpo e o corpo afetando a mente.

As memórias, emoções, traumas, crenças e etc são colocadas no corpo influenciando em seu fluxo de energia (?) e consequentemente sua vida.

Principal Fundador: Wilhelm Reich.

Psicologia Transpessoal

Surgiu com os movimentos New Age nos EUA na década de 60, sofreu influências do Humanismo, do Misticismo, de Religiões Orientais, da Psicanálise, da Psicologia Analítica, Bioenergética e outras. Acredita que o Ser Humano precisa transcender sua Psiquê conectando-se a outras realidades e, procurar pela Verdade para entender sua existência.

Essa psicologia não é reconhecida pelo Concelho Federal de Psicologia como uma Prática Psicoterápica.

Principal Fundador: Abrahan Maslow.

-------------------------------------------------------------------

Concluindo

Eclipse solar São muitas as psicologias, e essas citadas são apenas algumas, existem outras. Isso porque não citei as muitas “terapias alternativas” (“alternativo” que muitas vezes significa charlatanismo) e as abordagens de terapia em grupo. Evidentemente, esse post procura apenas salientar algumas diferenças entre as abordagens psicológicas, melhores informações deverão ser buscadas.

Um bom tratamento psicológico depende da confiança e crença do paciente em seu tratamento (além, é claro, da formação e experiência profissional do terapeuta) e, se as técnicas que seu psicólogo aplica não são coerentes com suas crenças e convicções, que conquistas o tratamento pode trazer? Éticamente o Psicólogo também não pode querer mudar certas crenças e tradições do paciente.

É uma situação complicada, pois o paciente também precisa estabelecer um relação com o Psicólogo e vivenciar seu tratamento para obter uma opinião sobre isso.

Por isso, quando se ouve alguém falando mal do psicólogo que procurou, talvez esse só não tenha sido o mais adequado para aquela pessoa. Ou talvez sim!

Continue Lendo...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Livemocha – O Jeito Social de Aprender um Idioma (ARGH)

Aprenda Idiomas gratuitamente na Internet. logo-livemocha_whiteNão, a “Internet” não é mais uma escola de Inglês, mas pode te ajudar com isso. Alias, não só Inglês. Você pode estudar Alemão, Italiano, Francês, Mandarim ou Japonês (Alias indico um ótimo texto que explica “Porque Não Aprender Japonês!”) e muitos outros idiomas.

O site Livemocha, apesar desse slogan horroroso, parece ser uma ótima opção para aprender ou aprimorar seus conhecimentos em idiomas. Você entra em contato com pessoas de outros países e esses podem te ajudar nessa tarefa. Você pode gravar exercícios e/ou sua voz lendo textos propostos para que outras pessoas corrijam e te ajudem. E o mesmo você pode fazer em troca, corrigindo os exercícios daqueles que procuram aprender a Nossa Língua Portuguesa.discover-pt-br_1

A proposta me parece ser muito parecida com aquele curso virtual Rosetta Stone, que eu não conheço muito bem, por isso disse que apenas se parece! A diferença básica é que no Livemocha você não paga nada :D Basta um pouco de persistência, motivação e entusiasmo que acredito que você possa ser um autodidata no idioma desejado.

Ah sim… E existe um outro site em que você pode treinar suas habilidades lingüísticas com pessoas estrangeiras: É o SharedTalk, uma comunidade do Rosetta Stone que presta esse serviço.

Muito bem, agora poderei tentar aprender Alemão mais uma vez!

Aprenda Alemão com a Voz da Alemanha: Deutsch: Warum Nicht?

Continue Lendo...