quinta-feira, 8 de maio de 2008

Psiquiatria, Psicologia, Psicanálise? Qual a Diferença?

Muitos têm essa dúvida, mas poucos procuram a ajuda de um. (hehehe)

No passado, as Ciências eram atreladas a Filosofia; basta ler sobre a Vida e Obra de antigas personalidades para perceber isso (Isaac Newton foi: Físico, Matemático, Astrônomo, Alquimista e Filósofo Natural). Com o passar dos tempos, as Ciências foram se isolando e formando um corpo teórico digno e expecífico. Assim, apartir da Filosofia, foram surgindo todas as outras Ciências. E, o mesmo ocorreu com as Ciências Médicas.

Dito isso, a Psiquiatria é uma Especialidade da Medicina. Para se tornar um Psiquiatra é preciso cursar Medicina, e fazer a Residência nesse campo. Isso o torna um "Médico da Mente". Segue o modelo biomédico, com uma visão mais orgânica e fisiológica do cérebro. Seu método, basicamente, consiste em neutralizar os sintomas utilizando medicação. Posteriormente, o Psiquiatra também pode estudar Psicologia ou Psicanálise e realizar uma Psicoterapia.

A Psicologia é um pouco mais complicada, pois assim como existem muitas Filosofias, existem muitas Psicologias. Mas de modo geral, a Psicologia se separou da Filosofia e incorporou algumas características do Modelo Médico, tornando-se uma Ciência isolada e autonôma. Basicamente, possue o Consciente e o Comportamento Humano como objetos de estudo. Os Métodos variam bastante de Psicologia para Psicologia, mas todos, é claro, consistem em amenizar o sofrimento humano através da Psicoterapia. Os Psicólogos são os Estudiosos da Alma (Mente).

Já a Psicanálise, é uma Metapsicologia desenvolvida por Freud. 'Meta' (Além), porque as Psicologias se detêm a estudar o Consciente e seus Processos, e Freud propôs o estudo do Insconciente. Por isso, a Psicanálise se diferencia através de seu corpo teórico, seus objetos de estudo e métodos e técnicas específicas.

A Psicanálise foi uma revolução intelectual em sua época e influenciou todas as psicologias e filosofias (inclusive a Psiquiatria), de uma maneira ou de outra. Contribuiu enormemente com seus Estudos sobre: o Inconsciente; os Sonhos; a Sexualidade; as Doenças Psicossomáticas; e outros. O Psicanalista é o Estudioso do Insconciente.

Para ser um Psicanalista, é preciso cursar Psicologia ou Medicina (alguns outros cursos também são aceitáveis) e depois fazer uma formação em Entidades Psicanalíticas Reconhecidas. A Psicanálise progrediu bastante durante sua história e acabou surgindo diferentes Escolas Teóricas também, cada uma com ênfases e técnicas específicas.

É particular de cada profissional:

- O Psiquiatra tem um entendimento mais profundo sobre o funcionamento cerebral e sobre os medicamentos. É o único que pode receitar medicação.

- O Psicólogo possue conhecimentos sobre o Comportamento e as Relações Humanas. É o único que pode aplicar Testes Psicológicos.

- O Psicanalista estuda e procura desvendar os processos Inconscientes, a Organização Mental, além de Interpretar Sonhos.

Os 3 profissionais trabalham com as mesmas pessoas e sintomas, porém com abordagens, técnicas e métodos diferentes. Às vezes, um Psicanalista ou Psicólogo precisa encaminhar seu paciente para o Psiquiatra receitar uma medicação; ou um Psiquiatra precisa encaminhar seu paciente para um Psicanalista ou Psicólogo para fazer uma Análise ou Psicoterapia. Essa colaboração é importante em muitos casos.

É preciso ressaltar que alguns Psicólogos e Psicanalistas ignoram a necessidade da medicação em casos graves, quando seria melhor estabilizar o paciente para realizar a psicoterapia, evitando assim sofrimentos desnecessários e incapacitantes.

Da mesma forma, alguns Psiquiatras acreditam que apenas com a medicação o paciente estará curado. Mas a medicação elimina apenas os sintomas; os processos psíquicos que possibilitaram aqueles sintomas continuarão agindo e poderão se manifestar de outra forma no futuro. E, muitas vezes, é utilizado medicação em casos que seria muito mais proveitoso para o paciente se se tratasse apenas com uma psicoterapia ou análise.

A medicação deveria ser aplicada quando realmente necessária e não quando o paciente simplesmente quer. Porém, a medicação tem uma característica que a Psicoterapia não tem: A Concretude. O Remédio é algo concreto, um objeto que podemos comprar e mostrar para os outros. Com ele nos sentimos mais confiantes e corajosos.

Já a Psicoterapia, não é para ser algo 'gostoso' de se fazer; ela tem um custo alto: financeiro, temporal e emocional. O trabalho emocional exigido para o paciente não é nada simples, mas os ganhos pessoais conquistados são muito maiores do que simplesmente esconder os sintomas com uma pílula.

E, justamente por todas essas razões, as pessoas preferem o caminho mais fácil, a medicação. Mais um reflexo da famosa Era Imediatista e Consumista em que vivemos.

5 comentários:

Jonathan disse...

Boa Noite! Vim aqui parabenizar o dono desse blog e principalmente o autor desta postagem muito legal...
Sempre tive essa dúvida na diferença de Psiquiatria, psicologia e psicanálise, e com esta postegem consegui entender tudo!!!
Eu tenho 14 anos, estou pensando em fazer psiquiatria, e gostei bastante da área de psiquiatria...
Parabéns mesmo pela postagem e continue assim, sempre ajudando as pessoas!!!
Parabéns!
Jonathan.

Woodstock disse...

Obrigado Jonathan...
Espero poder ajudá-lo mais futuramente. Sugestões são sempre bem-vindas.
Com certeza haverá outros posts sobre psicologia, psicanálise e psiquiatria no futuro.
Talvez haja algumas injustiças por minha parte nesse assunto, pois não sou Psiquiatra... mas sempre procurarei rever e corrigir qualquer erro encontrado.
Obrigado e até mais ...

Anônimo disse...

vamos melhorar o português, certo?

abs

Machado de Assis

Garfield disse...

Talvez com um pouco mais de bigode, uma boina verde. E não podemos esquecer da caneta na orelha, né?

Déia El disse...

A questão do uso das pilulas não é por ser um caminho , mais fácil, mais por ser necessário, pois somente quem passou por uma depressão ou por um transtorno de ansiedade pode dizer o que sentiu na pele, podemos melhorar isto e dizer que a medicação aliada a uma psicoterapia, sim seria um tratamento completo, mas este negócio de dizer que um tratamento não serve no caso das pilulas não é verdade pois existem fatores biologicos muitas vezes envolvidos que devem ser analisados, como no caso de fatores hormonais e tantas outras coisas , fatores psicologicos etc...

Postar um comentário